Vilhena, Júlio Marques de (1846-1928)

vilhenaDeputado regenerador em 1875-1878; 1879; 1880-1881; 1882-1884 e nas sessões seguintes. Par do reino desde 1890. Ministro da marinha e ultramar com Rodrigues Sampaio (de 25 de março a 14 de novembro de 1881). Ministro da justiça com Fontes (de 14 de novembro de 1881 a 24 de outubro de 1883).

Ministro da marinha e do ultramar, de 5 de abril a 14 de outubro de 1890, no governo de António Serpa. Ministro da marinha e do ultramar com João Crisóstomo, de 25 de maio de 1891 a 17 de janeiro de 1892. Governador do Banco de Portugal de 1895 a 1907. Chefe do partido regenerador em 1908. Leva à demissão o governo de Ferreira do Amaral.

Aconselha D. Manuel II a ir a casa de José Luciano em 27 de agosto de 1909. Segundo Alpoim, foi um mau dirigente político de coletividades partidárias pela feição individualista, muito crítica e melindrosa, muito caraterística e especial do seu alto espírito. Faleceu em Lisboa em 27 de dezembro de 1928.

  • As Raças Históricas da Península Ibérica e a Sua Influência no Direito Português. 1873.
  • Antes da República. Notas Autobiográficas. I (1874-1907), Coimbra, França e Arménio, 1916. II (1908-1910), Coimbra, França & Arménio, 1916.
  • Suplemento. Resposta a um Livro Póstumo. Coimbra, França & Arménio, 1918;  com um suplemento de 1918.
  • D. Pedro V e o seu Reinado. Lisboa, 1921.
  • Ver Raul Brandão, Memórias III, pp. 161 ss.