Vila Real, Conde de Morgado de Mateus

vila real, conde deBotelho Mourão e Vasconcelos, José Maria de Sousa (1758-1825). Morgado de Mateus. 1º conde de Vila Real desde 24 de Junho de 1823, na sequência da Vilafrancada.

Embaixador de Portugal em Copenhaga e Estocolmo (1791-1797). Embaixador em Madrid desde 6 de Janeiro de 1801, até 1804. Enviado para negociar a paz com a França, por mediação de Madrid. Embaixador em Paris junto de Bonaparte, em 1802-1803. Passa para São Petersburgo em 1805. Reside em Paris desde 1817. Embaixador em Londres desde Junho de 1823. Editor de Os Lusíadas em 1817.

Maçon. Tenente de cavalaria em 1807, combateu os franceses. Ajudante de campo de Beresford em 1809. Bacharel em direito por Gotinga. Passou para a diplomacia em 1814. Exerce funções em Londres (1814), Madrid (1814-1820), Londres (1820-1821; 1823-1825; 1827), Paris (1826) e São Petersburgo (1855, onde faleceu). Não aderiu à revolução de 1820. Adere à vilafrancada de 1823. Apoiou a revolta do conde de Amarante em 1823. Nomeado brigadeiro e embaixador em Londres nesse mesmo ano. Embaixador em Madrid em 1826. Nomeado ministro da guerra e dos negócios estrangeiros por D. Miguel, de 26 de Fevereiro a 3 de Maio 1828. Emigra de 1828 a 1833. Ministro dos negócios estrangeiros no governo de Palmela entre 24 de Setembro de 1834 e 27 de Maio de 1835. Um dos principais compradores dos bens nacionais em 1835. Ministro dos negócios estrangeiros no governo de Terceira, de 20 de Abril a 10 de Setembro de 1836. Acusado de alta-traição em Novembro de 1836, na sequência da belenzada. Ministro no governo do conde de Bonfim, entre 14 de Dezembro de 1839 e 23 de Junho de 1840 (ministro da marinha até 28 de Dezembro de 1839 e dos negócios estrangeiros, depois desta data). Ministro da guerra no governo de Joaquim António de Aguiar, de 9 de Junho de 1841 a 7 de Fevereiro de 1842. Participa na Junta do Porto da Patuleia em 1846-1847. Exílio de 1846 a 1854.