Teoria das elites

Nos finais do século XIX, princípios do século XX, surge a teoria elitista, marcada por três autores: Gaetano Mosca, Vilfredo Pareto e Robert Michels, autores de três leis já clássicas: a lei da classe política, a lei da circulação das elites e a lei de ferro da oligarquia. Se se acrescentar George Sorel, temos um grupo de quatro autores italianizados. Dois italianos propriamente ditos, um alemão italianizado e um francês italianizado. O modelo vai ser instrumentalizado pelos movimentos fascistas dos anos vinte e trinta.

Entretanto a politologia behaviorista norte-americana tratou de democratizar e de cientificizar a teoria, principalmente através dos trabalhos de Charles E. Merriam e Harold D. Lasswell. Com Schumpeter esboça-se uma teoria elitista da democracia.