Socialismo

robert owenPalavra consagrada por Robert Owen (na imagem) em 1841, terá sido pela primeira vez utilizada com uma certa precisão por Pierre Leroux, em 1831, seguido de Fourier, 1833, depois de começar a circular por volta de 1820.

Do socialismo utópico (Saint-Simon, Robert Owen, Charles Fourier, Louis Blanc) ao socialismo democrático. Do revisionismo à social-democracia.

Socialismo de características chinesas.

Socialismo democrático

Conciliação do demoliberalismo com o socialismo. Origens do socialismo democrático e da social-democracia. Do socialismo utópico ao revisionismo marxista de Bernstein. A Primeira Internacional (1864-1876). A Segunda Internacional (1889-1914). A Sociedade Fabiana (1884) e o gradualismo (Sidney e Beatrice Webb, Bernard Shaw, John Hobson, G. H. Wells e G. D. H. Cole). A procura da terceira-via de um liberal-socialismo. O movimento cooperativista. De Charles Gide a António Sérgio. A perspetiva do new deal liberalism de Roosevelt. A defesa do intervencionismo estadual pelo estabelecimento de regras públicas sobre a concorrência e o controlo das concentrações. O modelo keynesiano. As teses da social-democracia sueca de Gunnar Myrdal. A criação da Internacional Socialista em 1951 e o modelo germânico do SPD. O modelo britânico do trabalhismo. O modelo francês. O diálogo e a rutura com o marxismo. O Congresso de Bad-Godsberg do SPD e o abandono do marxismo (1959). O modelo de Willy Brandt. Reflexos em Portugal no Partido Socialista e no Partido Popular Democrático.

Socialismo catedrático

Movimento de origens alemãs que mistura o socialismo com algumas teses da Escola Histórica, nomeadamente do nacionalismo económico de Friedrich Lista. Influenciados pela revista Jahrbucher fur Nationalokonomie (Anais da Economia Nacional) publicada a partir de 1863. Marcados pelo Manifesto surgido da conferência de Eisenach de 1872, para a discussão da questão social, onde se criticam os liberais da Escola de Manchester e se apoia o intervencionismo estadual, visando fazer participar o povo nos bens elevados da Civilização. O manifesto teve Schmoller como principal redator. Importa também realçar o organicismo das teorias do socialismo catedrático, do Kathedersozialismus, que influenciou Bismarck, que têm em Adolf Wagner (1835‑1917), um discípulo de Lassalle e de List, o caput scholae. Outro dos líderes da escola é J. Karl Rodbertus (1805‑1875).

  • Halévy, Élie, História do Socialismo Europeu, trad. port. de Maria Luísa C. Maia, Amadora, Livraria Bertrand, 1975, pp. 207 segs.

Socialismo Humanista

O líder socialista francês dos anos trinta e quarenta, Leon Blum, considera o socialismo humanista como o processo de passagem do capitalismo para o socialismo, conservando as liberdades tradicionais. Tal não seria fatalismo nem determinismo, nem tão pouco resignação nem cinismo, dado pretender libertar a pessoa humana de todas as servidões que a oprimem. É um socialismo à escala humana.

Socialismo Harmónico. Ver Arruda, João

Socialismo com rosto humano

Expressão com que se qualificou a tentativa falhaada do Partido Comunista Checoslovaco, liderado por Alexander Dubcek, durante a chamada primavera de Praga de 1968.

Socialismo moral. Ver Man, Henri de