Revolta Monárquica de Monsanto

De 22 a 24 de Janeiro de 1919 ocorre uma revolta monárquica em Lisboa, de apoio à restauração da monarquia no Porto.

Na noite de 22 para 23, unidades militares monárquicas e vários civis começam a deslocar-se para Monsanto, assumindo o comando da movimentação Aires de Ornelas, com o apoio do tenente-coronel Álvaro de Mendonça. Resistem até às 17 horas do dia 24.  A reação dos republicanos em Lisboa foi fulminante. Logo no dia 21 promovem uma manifestação diante do ministério do interior, pasta gerida por Tamagnini Barbosa.

No dia 22, voluntários civis concentram-se no Campo Pequeno, para receberem armas e treino militar, destacando-se na mobilização o major André Brun bem como os grupos civis apoiantes do sidonismo, comandados por Manuel Inácio Ferraz. Segue-se a chamada escalada de Monsanto, com vitória dos republicanos.