Revolta dos Aviadores de Alverca

Revolta militar em Lisboa que dura cerca de 9 horas. A partir dos Caçadores 7.  Quatro dezenas de mortos. Entre os líderes da revolta o tenente-coronel Utra Machado, o major-aviador Sarmento Beires, Dias Antunes, Helder Ribeiro e Agatão Lança. Participam vários aviadores. Revolta jugulada pelo governador militar de Lisboa, brigadeiro Daniel de Sousa, logo promovido a general, sendo relevante a ação do general Farinha Beirão da GNR.

Em defesa do regime, destacam-se David Neto, Mário Pessoa Costa e Jorge Botelho Moniz. Os chefes da revolta são deportados para Timor.

A revolta estava para ser desencadeada ao mesmo tempo que a da Madeira. Ligações ao Grupo de Buda e à Liga de Paris, com algumas relações com socialistas espanhóis.