Revolta da Aviação na Amadora

Sublevação dos aviadores na Amadora de 3 para 4 de Junho, depois da demissão do respetivo comandante. Durante o governo de Álvaro de Castro. São cercados por tropas de Queluz. Só no dia 7 de Junho aceitam render-se, graças à ação do general Bernardo Faria que entra no campo desarmado, acompanhado por oficiais de várias unidades militares.