PSR – Partido Socialista Revolucionário (1978)

Criado em 1978, durante o congresso em que a Liga Comunista Internacionalista (LCI) se fundiu com o Partido Revolucionário dos Trabalhadores (PRT) e integrou um conjunto de militantes de várias correntes “trotskistas”.

Em 1983 concorreu às eleições legislativas em coligação, aparentemente contra-natura, com a UDP, então frente eleitoral do derradeiro esteio stalinista em Portugal, o PCP. Os resultados eleitorais são desastrosos.

Em 1985, depois de um recuo organizativo o PSR ganha novo alento, iniciando campanhas anti-militaristas e anti-racistas, especialmente dirigidas à juventude.

Em 1987 participa nas eleições para o Parlamento Europeu, integrando nas suas listas candidatos independentes.

Nesse mesmo ano e mantendo a linha de colaboração com independentes, inicia a publicação do jornal Combate , em novo figurino.

Os principais líderes são Francisco Louçã, Alfredo Frade, Helena Lopes da Silva e José Falcão.

Adere ao Bloco de Esquerda, em 1999, como um dos seus três partidos fundadores (a par da UDP, que já exorcizara o seu passado pro-albanês, e da Política XXI, movimento onde se acantona a chamada esquerda intelectual).

Depois de em vários atos eleitorais Francisco Louçã haver estado no limiar da eleição para o parlamento, este objetivo é finalmente atingido a 6 de outubro de 1999, ao encabeçar a lista do BE pelo círculo de Lisboa.

Nas legislativas de 17 de março de 2002 consegue a reeleição para novo mandato.