Partido dos Melhoramentos Materiais (1865)

Joaquim_António_de_AguiarNome dado à fusão entre regeneradores e históricos que esteve na base do governo presidido por Joaquim António de Aguiar (na fotografia), desde 4 de Setembro de 1865. Na base deste governo esteve uma coligação eleitoral dita comissão eleitoral progressista que venceu as eleições de 9 de Julho de 1865, realizadas durante o governo de Sá da Bandeira, com Silva Sanchesm António José de Ávila e Carlos Bento da Silva, entre 17 de Abril e 4 de Setembro de 1865.

José Dias Ferreira, apoiando o novo governo, fala numa ampla conciliação e tolerância política. Nas eleições de 1867, os governamentais apresentam-se sob o nome de comissão eleitoral do centro, recebendo a oposição que circula em torno de Sá da Bandeira e de Alves Martins o vago nome de partido popular. Destaca-se também uma oposição dita liberal-progressista, liderada pelo conde de Peniche. Este bloco central, que será derrubado pelo movimento da janeirinha, provocará uma posterior fragmentação partidária, naquilo que alguns qualificam o regime dos pequenos partidos, anterior ao Pacto da Granja e ao rotativismo.

Das eleições de 1865 emerge o governo da fusão de Joaquim António de Aguiar, com Martens Ferrão, Barjona de Freitas, Fontes Pereira de Melo, conde de Torres Novas, Isidoro Francisco Guimaraes, Salvador Pinto da França, José Joaquim Gomes de Castro, José Maria Casal Ribeiro, Andrade Corvo.