Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (1956)

PAIGC

Em 19 de setembro de 1956, por ação de Amílcar Cabral, surge em Bissau o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde. Outros fundadores são Aristides Pereira, Luís Cabral, Júlio de Almeida, Fernando Fortes e Elisée Turpin. Em 18 de maio de 1960, surge em Dakar a Frente de Libertação das Ilhas de Cabo Verde e da Guiné Portuguesa. Em 23 de janeiro de 1963 surge a primeira ação armada com um ataque ao quartel de Tite, no Sul da Guiné. A chamada frente Noret é aberta em julho desse mesmo ano. Em janeiro e março de 1964 é a chamada batalha do Como. De 13 a 17 de fevereiro reúne o I Congresso em Cassacá, no Sul da Guiné. Em novembro de 1964, aberta a chamada Frente Leste. Em 19 de fevereiro de 1968, um ataque ao aeroporto de Bissalanca. Em 5 de fevereiro de 1969, ataque a Madina de Boé. Em 1 de julho de 1970, Paulo VI recebe Amílcar Cabral, Agostinho Neto e Marcelino dos Santos. Em 20 de janeiro de 1973, assassinato de Amílcar Cabral. De 18 a 22 de julho de 1973, II Congresso do PAIGC, com eleição de Aristides Pereira como secretário-geral. Em 24 de setembro de 1973, proclamação do Estado da Guiné-Bissau em Madina do Boé. Em 16 e 17 de maio de 1974, encontro de Aristides Pereira com Mário Soares em Dakar. De 25 a 31 de maio, conversações de Londres entre o PAIGC e Portugal. Em 9 de Agosto, conversações de Argel. Em 26 de agosto, assinatura do Acordo de Argel. Em 10 de setembro, Portugal reconhece a independência da República da Guiné Bissau.