Mensário português de 1933

Janeiro

Norton de Matos Grão Mestre do Grande Oriente Lusitano, enquanto Tamagnini Barbosa, ex-ministro sidonista, lidera a fação maçónica do rito escocês. Capitão Agostinho Lourenço diretor da Polícia Internacional Portuguesa.

Dia 9 - Salazar traça auto-retrato no prefácio ao livro de Ferro, Salazar, o Homem e a sua Obra: o governo foi-lhe dado, não o conquistou … vai engolindo, de quando em quando, a sua conta de sapos vivos, comida forçada de políticos, segundo pretendia Clemenceau.

Dia 19 - Salazar recebe Vicente de Freitas que lhe comunica ir apresentar a Carmona  exposição contra o projeto de Constituição; Rolão Preto critica Salazar por este não vestir uma farda ou uma camisa de combate.

Dia 23 - Criada Polícia de Defesa Política e Social em lugar da Polícia Internacional Portuguesa que havia surgido em 28 jul. de 1931.

Dia 30 - Hitler chanceler alemão. Dissolução do Reichstag no dia 1 de fevereiro.

Fevereiro

Dia 6 - Salazar em Coimbra com Fezas Vital afina projeto de Constituição. Entrevista-se também com Costa Leite.

Dia 7 - Sucessivas reuniões do Conselho de Ministros sobre a Constituição.

Dia 12 - Vicente de Freitas publica em O Século exposição contra o projeto de Constituição de Salazar. Considera que dentro do 28 maio, além da corrente nacionalista há outra francamente republicana, que, sem nenhuma maneira defender o regresso à desordem política criada pela Constituição de 1911, é francamente liberal e democrática. Condena a UN como partido se um dia ela viesse de facto a ser a única organização política permitida em Portugal, os seus aderentes constituiriam uma casta privilegiada que pretenderia confundir-se com o próprio Estado e se julgaria no direito de reclamar todas as benesses e situações … a primeira Assembleia Nacional a eleger será de facto nomeada na sede da União Nacional e no Ministério do Interior e representará, não a vontade da nação, mas a vontade do Governo … se o Estado tem realmente de ser forte, o pensamento não pode deixar de ser livre. Segundo Assis Gonçalves (p. 13) a exposição teria sido escrita pelo Dr. António Osório. Salazar reage imediatamente e demite Vicente de Freitas de Presidente da Câmara Municipal de Lisboa (nota oficiosa no dia 14). Aí se diz que Vicente de Freitas em 21 mai. de 1932, em sessão pública, declarou concordar com a União Nacional. Freitas responde, salientando que pensava que a mesma iria ser modificada conforme informação que então lhe fora prestada por Pais de Sousa.

Assis Gonçalves diz ter sida criada loja maçónica da imprensa de rito escocês com Pereira da Rosa, Moses Bensabat Amzalak e Carlos de Oliveira, os três donos de O Século.

Entretanto, Carmona assina projeto de Constituição e imprensa publica-o no dia seguinte

Dia 18 - Manifestação nacional-sindicalista - Jantar dos nacionais-sindicalistas no Parque Eduardo VII. Saudações fascistas. Discurso de Neves da Costa: isto tem tanta força que ninguém já será capaz de nos fechar a porta.

Dia 21 - Decreto estabelece que, por comodidade, no plebiscito, as abstenções contarão como votos positivos.

Dia 22 - Costa Leite recusa fazer parte do Conselho Superior do Nacional Sindicalismo por este tomar atitude hostil contra o Dr. Salazar.

Março

Dia 19 - Plebiscito aprova Constituição
Plebiscito constitucional. 1 213 159 votantes. Contra apenas 5 955. Abstenções 487 364. 60% de votos favoráveis

Abril

Dia 11 - Estabelecido o regime da censura prévia.

Dia 18 - Remodelação governamental. Luís Alberto Oliveira na guerra e Caeiro da Matta nos estrangeiros. Teotónio Pereira acede a subsecretário de Estado. Surge o lema tudo pela nação, nada contra a nação.

Maio

Dia 28 - Desfile nacional-sindicalista em Braga. Incidentes.

Junho

Dia 5 - Sessão dita corporativa no teatro São Carlos. Teotónio Pereira proclama: nem Estado burguês nem Estado proletário.

Dia 15 - Linhares de Lima critica o Ministério da Agricultura por causa da questão cerealífera.

Dia 16 - Sessão nacional-sindicalista no São Carlos. Rolão Preto discursa: pesam sobre nós as velhas teorias financeiras, os absurdos conceitos económicos, em nome dos quais o homem é escravo da plutocracia, da usura, do Estado.

Julho

Nova remodelação do governo.

Agosto

Dia 4 - Salazar dá entrevista ao Diário de Notícias sobre a questão agrícola.

Anulada a autorização para a propaganda nacional-sindicalista e suspenso Revolução.

Setembro

Dia 23 - Pacote Corporativo (Estatuto do Trabalho Nacional, criação de grémios, sindicatos nacionais, casas do povo, Instituto Nacional do Trabalho e Previdência e casas económicas). Proibido o direito à greve. Ordenada a dissolução de todos os sindicatos até 31 dez., no caso de não terem transformado os estatutos obtendo autorização do subsecretário de Estado das Corporações.

Dia 25 - Criado o Secretariado da Propaganda Nacional.

Outubro

Dia 17 - Criada a colónia penal do Tarrafal; Novo Código Administrativo.

Dia 26 - Salazar declara que politicamente só existe o que o público sabe que existe.

Dia 27 - Sedição militar em Bragança. Preso Sarmento Beires.

Novembro

Dia 6 - Cisão no congreso do nacional-sindicalismo. Supico Pinto e José Cabral são pela subordinação ao Estado Novo. Rolão Preto e Monsaraz pela independência; Nova definição de delitos políticos.

Dia 15 - Publicada a Carta Orgânica do Império Colonial Português.

Dia 21 - Instituída a Fundação da Casa de Bragança.

Dezembro

Dia 20 - Salazar promete construir um Estádio Nacional. Surge um curso de Direito Corporativo nas faculdades de direito, em vez da anterior disciplina de Economia Social.