Mensário Português de 1927

Fevereiro

Dia 3 - Revolta de Sousa Dias - Começa no Porto a revolta de Sousa Dias. Surge Manifesto assinado pelo general Sousa Dias, capitão-médico miliciano Jaime Cortesão, capitão Sarmento Pimentel.

No dia 7, o movimento alastra a Lisboa, sob o comando de Agatão Lança. 50 mortos em Lisboa, 70 no Porto.

Dia 17 – Manifestação de apoio ao governo contra a maçonaria, promovida por uma Confederação Académica da União Nacional e por uma Milícia Lusitana

Abril

Criação em Lisboa e no Porto de uma Polícia Especial de Informações.

Maio

Dia 1 - Governo de Vicente de Freitas diz querer transformar o 1º de Maio  numa Festa do Trabalho a ser comemorada  em serenidade, paz e harmonia social.

Todos os comícios são proibidos.

Dissolvida a CGT.

Dia 13 - António de Cértima  reedita O Ditador (Lisboa, Rodrigues & Ca., a 1ª ed. é de 1926). No frontespício uma frase de Napoleão: celui qui sauve sa patrie ne viole aucune loi.

Dia 28 - Governo anuncia a intenção de proceder a eleições.

Agosto

Sinel de Cordes em Genebra tenta obter empréstimo da Sociedade das Nações.

Dia 12 - Esboça-se golpe de Estado de Filomeno da Câmara, com os Caçadores 5, contra a criação do cargo de vice-presidente do Ministério que é ocupado por Passos e Sousa.

Dezembro

Formada a Liga de Paris.

Surge uma série de artigos de Salazar no Novidades contra Sinel de Cordes.

Dia 27 - Vicente de Freitas em entrevista ao Diário de Notícias anuncia que o governo elabora lei eleitoral e medidas preparatórias para o recenseamento e que apoia a organização de uma Liga Nacional 28 de Maio.