Jordão, Joaquim Teles (1777-1833)

Oficial do exército. Vintista, exaltado da martinhada, da extrema-esquerda, acaba como um dos símbolos do terrorismo miguelista.

Adere è revolução de 1820, como comandante de tropas em Braga.

Participa na martinhada de 11 de Novembro.

Será, com o miguelismo, comandante de tropas que cercam o Porto e governador da Torre de S. Julião da Barra.

Morto em Cacilhas em 23 de Julho de 1833.