Interacionismo simbólico

Doutrina assumida pela Escola de Chicago nos anos trinta, cunhada por Herbert Blumer, segundo a qual os indivíduos não são simples reflexo dos factos sociais, antes os produzindo pelas respetivas interações. Um grupo existe quando os respetivos membros desenvolvem uma compreensão semelhante de determinada situação. O objeto principal da sociologia deveria ser o de se estudarem os pontos de vista e as representações dos diversos atores sociais.

Segundo Robert King Merton, se os homens definem as suas situações como tais, elas são reais nas suas consequências.