Infraestrutura económica (Marxismo)

marxUm dos elementos essenciais da ideologia marxista parte da distinção entre a infraestrutura económica e as superestruturas da sociedade. A infraestrutura é entendida como a base material de uma formação social, isto é, como uma unidade resultante da soma das relações de produção com as forças produtivas. Essa base ou infraestrutura é que determina em última instância a superestrutura, a qual não passa de mero reflexo da primeira. O marxismo ortodoxo entende assim que há forças produtivas, os ditos meios de produção, bem como as relações de produção, isto é, os regimes económicos definidos pela propriedade dos meios de produção. São estes dois elementos que formam a infraestrutura económica de cada modo de produção. E seria esta infraestrutura a geradora da chamada superestrutura, onde cabem as ideias, as instituições sociais, das quais se destaca o Estado. Cada sociedade forma, assim, um todo, uma formação económica e social que vai evoluindo ao longo do tempo: o comunismo primitivo, a escravatura, o feudalismo, o capitalismo… Em cada formação económica e social haveria uma classe dominante, detentora dos meios de produção, que exploraria todas as outras ‑ o caso da nobreza no feudalismo e da burguesia no capitalismo. Nestes termos, o Estado, enquanto mera superestrutura, teria de ser um simples reflexo automático de um determinado meio de produção.