Hierarquismo

Uma das características de certo conservadorismo, como aquele que ainda segue o ditame de Egídio Romano, segundo o qual a autoridade procede de um primeiro motor, donde se comunica, degrau a degrau, até a último dos seres.

É neste sentido que Bertrand de Jouvenel fala numa altitude do poder, dado que o comando é uma altitude face aos chamados vales da obediência. E na altitude respira-se outro ar e descobrem-se diferentes perspetivas. David Riesman, em The Lonely Crowd, de 1950, salienta que a estrutura do poder em vez de se assumir como uma hierarquia única, coroada por uma classe dominante, foi substituída por uma pluralidade de grupos de pressão e de interesse. Também Benito Mussolini utilizou a ideia de hierarquia como um dos fundamentos do fascismo e o movimento deu a uma das suas revistas doutrinárias o significativo nome de Gerarchia, onde o duce, no número inicial, declara pretender conservar os valores das hierarquias que não esgotaram a sua força bem como a criação de hierarquias novas.