Herrschaft (Weber)

O poder weebrpolítico, enquanto Herrschaft, é sempre uma estrutura complexa de práticas materiais e simbólicas destinadas à produção do consenso, pressupondo sempre uma relação política estável, institucionalizada, legitimada e concentrada, entre um fator de organização, o comando, e a obediência ou a aceitação dos comandados. Implica a probabilidade de se encontrar obediência, que haja a presença efetiva de alguém mandando eficazmente em outros.

Se no Macht o comando não é necessariamente legítimo, nem a submissão é obrigatoriamente um dever, já no Herrschaft, a obediência fundamenta-se no reconhecimento, pelos que obedecem, das ordens que lhe são dadas, isto é, tem de haver consentimento. Neste sentido, converte uma ação comunitária amorfa numa ação racional. Estamos na zona da metafísica do poder. Emerge quando surge uma autoridade estabelecida, impondo-se que haja quatro elementos: governantes; governados; governantes com vontade de influenciar a conduta dos governados, de maneira que haja um grau objetivo de obediência; e, finalmente, uma aceitação subjetiva de aceitação desse comando, o que só pode ser conseguido pela legitimidade, como se o governado tivesse feito do conteúdo da ordem a máxima da sua conduta por si mesma.

É a partir do Herrschaft que se atinge o político. Porque uma associação de Herschaft transforma-se em associação política quando e na medida em que a sua existência e a validade das suas ordens, dentro de um âmbito geográfico determinado, estão garantidas de modo contínuo, pela ameaça e aplicação da força física pelo quadro administrativo

Herrschaft. Tipos de

Ver Tipos de Legitimidade.

Herrschaft, Relações de

Para Weber, pode haver relações de Hersschaft sem associação (Verein) e associações de Herschaft sem quadro administrativo. O paterfamilias tinha relações de Herschaft sem quadro administrativo. O Chefe beduíno tinha um quadro administrativo para cobrar impostos sem qualquer espécie de associação.