Governo de Bernardino Machado (1914)

Bernardino MachadoDe 9 de fevereiro a 12 de dezembro de 1914 (307 dias - Cerca de dez meses).

6º governo republicano. 5º governo constitucional.

Presidência e Interior:

  • Bernardino Luís Machado Guimarães na presidência e no interior.

Estrangeiros:

  • Desde 23 de maio de 1914 - O coronel de engenharia Alfredo Augusto Freire de Andrade assume os estrangeiros, pasta até então gerida interinamente por Bernardino Machado.

Justiça:

  • Até 23 de junho - O democrático Manuel Joaquim Rodrigues Monteiro (bacharel em direito, juiz do Supremo Tribuanl Administrativo e historiador da arte românica);
  • Manuel Monteiro tinha sido governador civil de Braga depois de 1910. Será ministro do fomento do governo de João Chagas/ José de Castro, de 17 de maio a 29 de novembro de 1915;
  • Desde 23 de junho - Bernardino Machado;
  • Desde 23 de Julho - Juiz Eduardo Augusto de Sousa Monteiro.

Finanças:

  • Tomás António da Guarda Cabreira (capitão de engenharia e professor universitário de química, antigo vereador republicano de Lisboa em 1908). Faleceu em 1918, publicando várias obras em 1912, 1915 e 1916 sobre os problemas financeiro, bancário e tributário;

  • Desde 23 de junho de 1914 - Capitão António dos Santos Lucas.

Fomento:

  • Aquiles Gonçalves Fernandes (advogado);
  • Desde 23 de junho de 1914 - João Maria de Almeida Lima.

Guerra:

  • António Júlio da Costa Pereira de Eça (general e diretor do Arsenal do Exército). Não filiado partidariamente.

Marinha:

  • Augusto Eduardo Neuparth (almirante, célebre por ter criado a farolagem). Não filiado partidariamente.

Colónias:

  • Alfredo Augusto Lisboa de Lima (professor da Escola Politécnica). Não filiado partidariamente.

Instrução pública:

  • José de Matos Sobral Cid (professor de medicina). Não filiado partidariamente.