Governo de António de Oliveira Salazar (1932-1968)

salazarDesde 5 de julho de 1932 a 27 de setembro de 1968.

7º governo da Ditadura.

  • Presidente continua a assumir a pasta das finanças;
  • No interior, Albino dos Reis;
  • Na justiça e cultos, Manuel Rodrigues;
  • Na guerra, Daniel Rodrigues de Sousa (general);
  • Na marinha, Aníbal de Mesquita Guimarães (capitão);
  • Nas colónias, Armindo Rodrigues Monteiro;
  • Nos estrangeiros, César de Sousa Mendes do Amaral Abrantes;
  • Nas obras públicas e comunicações, Duarte Pacheco;
  • No comércio, indústria e agricultura, Sebastião Garcia Ramires;
  • Na instrução pública, Gustavo Cordeiro Ramos.

Em 11 de abril de 1933:

  • Na guerra, Luís Alberto Oliveira;
  • Nos estrangeiros, José Caeiro da Mata;
  • Teotónio Pereira subsecretário de Estado.

Em 24 de julho de 1933:

  • O ministério do comércio, indústria e agricultura subdivide-se. Leovigildo Queimado Franco de Sousa na agricultura;

  • Garcia Ramires fica apenas no comércio e Indústria;
  • Alexandre Alberto de Sousa Pinto substitui Cordeiro Ramos na instrução;
  • António Raul da Mata Gomes Pereira substitui Albino dos Reis no interior.

Em 29 de junho de 1934:

  • Manuel Rodrigues passa a acumular a instrução, com a saída de Sousa Pinto.

Em 23 de outubro de 1934:

  • Abílio Augusto Valdez Passos e Sousa substitui Luís Alberto de Oliveira na Guerra;

  • Rafael Silva Neves Duque substitui Franco de Sousa na agricultura;
  • Eusébio Tamagnini de Matos Encarnação na Instrução, em lugar de Manuel Rodrigues;
  • Henrique Linhares de Lima substitui Gomes Pereira no Interior;
  • Costa Leite novo subsecretário de Estado das finanças.

Em 11 de maio de 1935:

  • Armindo Rodrigues Monteiro nos estrangeiros (Mesquita Guimarães era interino desde 27 de março de 1935);

  • José Silvestre Ferreira Bossa nas colónias.

Em 18 de janeiro de 1936:

  • Carneiro Pacheco substitui Eusébio Tamagnini na instrução;

  • Mário Pais de Sousa no interior.

Em 11 de maio de 1936:

  • Salazar assume a pasta da guerra, substituindo Passos e Sousa;

  • Santos Costa, subsecretário do exército.

Em 13 de dezembro de 1937:

  • Costa Leite substitui Garcia Ramires no comércio e indústria.

Em 28 de agosto de 1940:

  • Surge um ministério da economia, assumido por Rafael Duque, com André Navarro, como subsecretário da agricultura e Ferreira Dias no comércio e indústria;

  • Costa Leite nas finanças; 
  • Vaz Serra, na justiça;
  • Mário de Figueredo substitui Carneiro Pacheco na educação nacional.

Em 23 de julho de 1941:

  • Costa Leite substitui Pais de Sousa no interior.

Em 6 de setembro de 1944:

  • Américo Tomás, Ministro da Marinha;

  • Cancela de Abreu, Ministro das Obras Públicas;
  • Marcello Caetano, Ministro das Colónias;
  • Caeiro da Mata, Ministro dos Negócios Estrangeiros;
  • Botelho Moniz, Ministro do Interior;
  • Supico Pinto, Ministro da Economia;
  • Santos Costa passa a ministro da Guerra (m. da defesa desde 2 de agosto de 1950 até 14 de agosto de 1958)

Em 4 de fevereiro de 1947:

  • Teófilo Duarte, nas colónias (até 2 de agosto de 1950);

  • Daniel Barbosa, na economia;
  • Cancela de Abreu, no interior;
  • Caeiro da Matta mantém-se nos estrangeiros.

Em 16 de outubro de 1948:

  • Castro Fernandes substitui Daniel Barbosa na economia.

Em 2 de agosto de 1950:

  • Costa Leite, ministro da presidência;

  • Santos Costa substitui Salazar na defesa (até 14 de agosto de 1958);
  • Trigo de Negreiros substitui Cancela de Abreu no interior;
  • Águedo de Oliveira nas finanças;
  • Paulo Cunha nos estrangeiros;
  • Sarmento Rodrigues nas colónias;
  • Ulisses Cortês na economia;
  • José Soares da Fonseca nas corporações.

Em 2 de abril de 1954:

  • Arantes de Oliveira, novo ministro das obras públicas.

Em 14 de agosto de 1954:

  • Antunes Varela substitui Cavaleiro Ferreira no ministério da justiça;

  • Almeida Fernandes no exército.

Em 7 de julho de 1955:

  • Marcello Caetano substitui Costa Leite na presidência;

  • Veiga de Macedo substitui Soares da Fonseca nas corporações;
  • António Pinto Barbosa substitui Ulisses Cortês na economia, tendo como subsecretários de Estado Jacinto Nunes e Correia de Oliveira;
  • Raul Ventura substitui Sarmento Rodrigues no ultramar;
  • Leite Pinto na educação.

Em 14 de agosto de 1958:

  • Saem do governo Santos Costa e Marcello Caetano;

  • O primeiro é substituído na defesa por Botelho Moniz;
  • O segundo é substituído por Pedro Teotónio Pereira (que só toma posse a 9 de setembro);
  • Almeida Fernandes no exército;
  • Mendonça Dias na marinha;
  • Lopes Alves substitui Raul Ventura no ultramar;
  • Ferreira Dias substitui Ulisses Cortês na economia;
  • Pires Cardoso no interior;
  • Henrique Martins de Carvalho assume a pasta da saúde (até 4 de dezembro de 1962);
  • Carlos Gomes da Silva Ribeiro nas comunicações;
  • Marcelo Matias nos estrangeiros;
  • Mantêm-se Pinto Barbosa, nas finanças, bem como Antunes Varela, na justiça, Veiga de Macedo, nas corporações, e Arantes e Oliveira nas obras públicas.

Em 13 de abril de 1961:

  • Salazar assume a pasta da defesa, em substituição de Botelho Moniz;

  • Mário Silva no exército, tendo como subsecretário Jaime da Fonseca e com um novo CEMGFA, Gomes de Araújo;
  • Adriano Moreira na pasta do ultramar, substituindo Lopes Alves (até 4 de dezembro de 1962).

Em 4 de maio de 1961:

  • Santos Júnior no interior;

  • Gonçalves Proença nas corporações;
  • Lopes de Almeida na educação;
  • Franco Nogueira nos estrangeiros.

Em 14 de junho de 1961:

  • Correia de Oliveira passa a ministro de Estado;

  • Surgem novos secretários de Estado das pastas económicas (Mota Campos na agricultura; Carvalho Fernandes na indústria e Dias Rosas no comércio).

Em 4 de dezembro de 1962:

  • Saem Adriano Moreira, Lopes de Almeida, Kaúlza de Arriaga e Ferreira Dias;

  • No ministério da defesa, Gomes de Araújo substitui Salazar;
  • No Exército, Luz Cunha;
  • Na educação, Galvão Teles;
  • No ultramar, Peixoto Correia;
  • Na economia, Teixeira Pinto;
  • Na saúde, Pedro Soares Martinez.

Em 19 de março de 1965:

  • Silva Cunha substitui Peixoto Correia no ultramar;

  • Correia de Oliveira passa a ministro da economia;
  • Mota Veiga é o novo ministro de Estado.

Em 12 de abril de 1965:

  • Machado Vaz nas obras públicas.

Em 14 de junho de 1965:

  • Ulisses Cortês nas finanças.

Em 22 de setembro de 1967:

  • Almeida Costa na justiça.

Em 19 de Agosto de 1968

  • Gonçalves Rapazote no interior;

  • José Hermano Saraiva, na educação;
  • Dias Rosas, nas finanças;
  • Bettencourt Rodrigues no exército;
  • Pereira Crespo na marinha;
  • Jesus dos Santos na saúde.

Em 28 de agosto de 1968:

  • Canto Moniz nas comunicações.

A Legião Portuguesa instala-se na sede do antigo Grande Oriente Lusitano em 18 de dezembro de 1937.

Eleições em 30 de outubro de 1938.

Termina a guerra civil espanhola em 1 de abril de 1939.

Começa a Segunda Guerra Mundial em 1 de setembro de 1939.

Aumento dos preços da gasolina e de outros derivados do petróleo.

Esquadra espanhola em visita ao Tejo em 9 de abril de 1940.

Concordata com a Santa Sé em 7 de maio de 1940.

Início das comemorações dos centenários em 2 de junho de 1940. Até 2 de dezembro do mesmo ano.

Alemães ocupam Paris em 14 de junho de 1940.

Marcello Caetano empossado como comissário nacional da Mocidade Portuguesa  em 24 de agosto de 1940.

Itália invade a Grécia em 28 de outubro de 1940.

Álvaro Cunhal ascende ao secretariado do PCP em janeiro de 1941.

Violento ciclone em Portugal (15 de fevereiro de 1941).

Reeleição de Carmona em 8 de fevereiro de 1942

Criação da PIDE em 22 de outubro de 1945.

4 de fevereiro de 1947

Por oposição de Santos Costa, Salazar não nomeia Supico Pinto para os estrangeiros, apesar de o ter formalmente convidado. O mesmo acaba por sair da pasta da economia.