Finlandização

Durante a Guerra Fria, o processo de política externa da Finlândia, protagonizado por Suho Passikivi, estabeleceu um modelo de relações com a URSS baseado na cedência através de acordos amigáveis e concessões comerciais que lhe garantiu a não satelitização. Trata-se de uma forma de dependência face a um vizinho poderoso que garantiu a não integração no espaço soviético.