Existencialismo

Termo inventado por Soren Kierkegaard e adotado por teóricos como Heidegger e Sartre. Martin Heidegger, Jean-Paul Sartre e Merleau-Ponty. A esperança dos desesperados (Mounier). A teoria do homem revoltado de Albert Camus.

Movimento de ideias do século XX. Tem como precursores Soren Kierkegaard (1813-1855) e Friedrich Nietzsche. Utiliza o método fenomenológico de Husserl, quando este admite a validade do subjetivismo no domínio moral. Em França, começa a partir de 1924, com a chegada a Paris de Nicolai Berdiaev e desenvolve-se a partir de 1933, com a introdução do pensamento de Heidegger e Karl Jaspers, a partir da obra de Gabriel Marcel. Assume o pensamento concreto contra o pensamento abstrato, o espírito subjetivo contra o espírito objetivo; a consciência individual contra o fatalismo da história. Defende um idealismo ativista e voluntarista. No caso concreto do existencialismo cristão, retomam as facetas platónico-escotistas em detrimento da tradição aristotélico-tomista, sendo particularmente invocados Dins Scottus, Schopenhauer, Nietzsche e Bergson.