Dissidência Progressista (1905)

alpoimjmEm 2 de Maio de 1905, surge a dissidência de José Maria de Alpoimb (na fotografia) por causa do contrato dos tabacos.

Acompanham-no, entre outros, Abel Botelho, Caeiro da Mata, Joaquim Pedro Martins, Francisco Fernandes, o visconde de Algés, visconde de Penalva, visconde do Ameal, os advogados Sousa Costa e Pereira Reis, o jornalista Santos Tavares, os futuros democráticos Barbosa de Magalhães e Mota Veiga, o futuro evolucionista, centrista e sidonista, Egas Moniz, médico, o único português até agora galardoado com o Prémio Nobel.

Em 9 de Maio, Alpoim não comparece à reunião do Conselho de Ministros.  Em 11 de Maio saía um Diário do Governo, o nº 106, datado de 10, com a exoneração de Alpoim. Nesse mesmo dia 11 de Maio, as Cortes são adiadas até 16 de Agosto.

Comício dos dissidentes progressistas em 19 de Novembro. Discursos de João Pinto dos Santos, Egas Moniz e Joaquim Pedro Martins. O republicano Brito Camacho também faz um discurso.