Dissidência de Domingos Pereira (1920)

Em Novembro de 1920, um grupo de democráticos, liderado por Domingos Pereira (na fotografia), entra em divergência com o diretório do partido e decide apoiar e participar no governo de Álvaro de Castro, também ele dissidente dos democráticos e então chefe dos reconstituintes, onde também participavam os populares.

O novo governo dura apenas dez dias. Entre outros, acompanham-no Jaime de Sousa e Adriano Pimenta. O afastamento durará até Janeiro de 1922, quando o grupo regressa ao seio dos democráticos.