Dia (O) (1914)

Em fevereiro de 1914, durante o governo de Bernardino Machado, reaparece o jornal O Dia, afeto aos dissidentes progressistas de José Maria Alpoim. Suspende a publicação logo em 24 de setembro desse ano, protestando contra o facto de alguns dos seus números terem sido apreendidos. Na altura, chegam a publicar-se outros jornais monárquicos como o Jornal da Noite, Restauração e Talassa. São todos assaltados e encerrados na sequência da segunda outubrada de 20 de outubro de 1914. O jornal O Dia volta a publicar-se a partir de março de 1915 durante o governo de Pimenta de Castro.