Descolonização Portuguesa

Depois da invasão do Estado Português da Índia em 18 de dezembro de 1961. O regime salazarista sempre negou a hipótese de descolonização porque considerou que constitucionalmente não havia colónias em Portugal, desde a revisão constitucional de 1959. Ela vai ocorrer de forma trágica depois dos acontecimentos de 1974, onde atua o princípio do abandono rapidamente e em força, tentando-se encontrar nos territórios coloniais um interlocutor a quem entregar o poder. A situação foi particularmente complicada em Angola dada a existência de três movimentos de libertação que, com o abandono da administração portuguesa em 11 de novembro de 1975. Também em Timor sucedeu uma invasão por parte da Indonésia.