Demiurgo do universo

Segundo Desqueyrat, o homem moderno comporta-se como o demiurgo do universo. É o maitre et seigeneur da natureza, conforme a proposta de Descartes, num processo de modernização onde se insere a ideia contemporânea de revolução, iniciada em 1789 e continuada pela revolução soviética, quando se tentou o maitre et seigeneur da própria sociedade, levando à ilusão construtivista da criação pelos aparelhos de poder dos homens novos.