Curto, A. S. Ramada (1886-1961)

ramada

Advogado. Dramaturgo. Propagandista republicano.

Ministro das finanças do governo de Domingos Pereira, de 30 de março a 30 de junho de 1919. Ministro do trabalho de 21 de janeiro a 8 de março de 1920, no governo de Domingos Pereira. Deputado.

Eleito em 1922 pelos democráticos, passa para o Partido Socialista. Colabora, nos primeiros tempos do regime, com o salazarismo, concordando com a auto-dissolução do PS e elaborando um projeto de Carta do Trabalho. Conhecido pela frequência das tertúlias político-literárias de Lisboa, fica célebre pelos seus ditos. Num deles, proclama que a verdadeira vocação do português é socializar os prejuízos e individualizar os lucros.