Cortesão, Jaime Zuzarte (1884-1960)

transferir (15)Médico e historiador. Republicano, militante do partido democrático e maçon, desde 1912. Propõe em 1911 a criação de uma maçonaria de intelectuais e artistas.

Deputado democrático desde 1915, lidera a revolta contra Afonso Costa em Maio de 1917, dentro do partido democrático, quando estava mobilizado em França. Para aí partiu como voluntário, sendo ferido e combate e recebendo a Cruz de Guerra.

Diretor da Biblioteca Nacional de 1919 a 1927. Um dos chefes da revolução de Fevereiro de 1927 contra a Ditadura Nacional. Depois de um longo exílio, em Espanha e em França, onde juntamente com Jaime de Morais, funda o grupo dito dos Budas, regressa a Portugal em 1940, sendo preso e expulso do país. Passa, então, para o Brasil, onde vai consagrar-se como historiador.

Regressa definitivamente apenas em 1958. Juntamente com Mário de Azevedo Gomes e António Sérgio, lidera o Diretório Democrático-Social. Eleito em 1958 Presidente da Sociedade Portuguesa de Escritores.

Apoia a candidatura de Delgado em 1958, considerando viver sob um governo autoritário, que vive à custa do silêncio dos adversários e nega os direitos do cidadão, pelo que pode impor-se num país de escravos, nunca a um povo que teve de lutar com extremos de bravura para fundar a sua independência e expandir-se no mundo. Nada de um português do velho cerne pode perdoar do que reduzirem-nos à condição de menor. É deste fundo de oito séculos de Nação que os portugueses aclama o candidato independente. E por uma razão apenas: porque ele lhes prometeu, por forma heróica, as liberdades a que tem direio. Os verdadeiros nacionalistas são os partidários do general Humberto Delgado. Volta novamente a ser preso.

Os Factores Democráticos na Formação de Portugal

1929) (cfr. nova ed. com pref. de Vitorino Magalhães Godinho, Lisboa, Livros Horizonte, 1964).

Geografia e Economia da Restauração

1940.

Raposo Tavares e a Formação Territorial do Brasil

Rio de Janeiro, MEC, 1958.

Os Descobrimentos Portugueses

1960-1962.

O Humanismo Universalista dos Portugueses

Portugália Editora, 1965.