Coreia

Território repartido entre duas repúblicas e separado por uma zona desmilitarizada de 4 km de largura e 250 km de comprimento, ao longo do paralelo 38º. No Norte, 122 762 km2 e 23 904 000 habitantes. No Sul, 99 274 km2 e 45 232 000 habitantes. Nos últimos tempos da Segunda Guerra Mundial os soviéticos ajudaram a estabelecer uma administração comunista na zona Norte que recusa participar nas eleições de agosto de 1948, promovidas pela ONU. Nesse ano, se o Sul proclama uma República, com a capital em Seul (agosto), o Norte constitui uma República Popular, com a capital em Pyongyang (setembro). Coreia do Norte Comanda o processo Kim Il-Sung, então com 33 anos. Depois de 1953 promove uma série de purgas, monopolizando o poder. Nos anos sessenta promove uma nova ideologia, djutché ou zugue, eem nome da tríade independência política, auto-defesa, autossuficiência económica. Sucede-lhe em 1994 o filho Kim Jun-Il. Coreia do Sul De 1948 a abril de 1960 está no poder Syngman Rhee, três vezes reeleito, com o apoio do Partido Liberal, fundado em 1951. Depois de manifestações oposicionistas em abril de 1960, renuncia, sucedendo-lhe um breve regime parlamentar. Sugue-se um golpe de Estado, em 16 de maio de 1961, promovido pelo general Park Chung-Lee. Este promove o plano de um país rico e de forças armadas poderosas, chamando os tecnocratas ao governo e fazendo uma aliança com os investidores estrangeiros, com o lema de primeiro a eficácia. Uma industrialização audaciosa, com promoção das exportações, através de uma modernização autoritária. Assassinado em outubro de 1979 pelo chefe da polícia secreta (KCIA). A partir de maio de 1980, novo regime protagonizado pelo presidente Chun Doo-Hwan, eleito em 1981, consagra-se como um dos dragões asiático, com um milagre económico que até recebe os Jogos Olímpicos de 1988.