Consentimento racional

Weber refere que tanto pode haver um consentimento racional, marcado pela competência, típico da legitimidade racional, como um consentimento não racional, típico da legitimidade tradicional, onde há fidelidade, e da legitimidade carismática, onde há lealdade.