Confederação

Mera associação de Estados que institui um órgão central ainda subordinado ao poder dos Estados, no qual se delegam alguns poderes, normalmente no plano da política de segurança e da política externa, sendo marcado processualmente pela regra da unanimidade e pela existência de um direito de veto de cada Estado. Isto é, apesar de existir um governo central, os vários Estados participantes continuam soberanos, conservando uma esfera de autonomia que garante o equilíbrio e a balança de poder. Difere da federação em sentido estrito, onde os Estados integrantes, apesar de continuarem supremos na sua esfera de competência, encontram-se submetidos à mesma constituição que regula o governo central, o qual tem uma esfera de autonomia que não deriva da mera delegação de poderes. Contudo, mesmo na federação, os Estados integrantes também possuem uma esfera de autonomia que não deriva de uma delegação do poder central. Já Kant distinguia uma confederação de Estados (Staaten-Bund) do Estado confederativo (Bundesstaat). Se neste, a autoridade concentra-se no poder central e a união constitui uma unidade superior; na primeira forma a autoridade está repartida pelos Estados que compõem uma união entendida como mera agregação.