Chagas, João Pinheiro (1863-1925)

Jornalista. Republicano histórico, próximo de Brito Camacho. Em 1890 publica no Porto o jornal A República Portuguesa.

Estava preso por crime de imprensa na Relação do Porto quando se deu a revolta do 31 de Janeiro de 1891. Mas será condenado por instigar à mesma. Desterrado para Luanda e Moçâmedes, foge daqui. Volta ao Porto e volta a ser preso em finais de 1892. De novo desterrado para Luanda. Amnistiado pelo governo de Dias Ferreira. Edita no Porto entre 21 de Dezembro de 1893 e 3 de Junho de 1894 o Panfleto.

Edita depois A Marselhesa e O País. Inicia-se na maçonaria em 1896. Preso em 28 de Janeiro de 1908. Libertado pelo governo de Ferreira do Amaral, começa a editar, entre 10 de Dezembro de 1908 e 25 de Dezembro de 1910, as Cartas Políticas.

Presidente do ministério de 3 de Setembro a 12 de Novembro de 1911, acumula as pastas do interior e dos negócios estrangeiros, esta até 12 de Outubro, onde surge Augusto de Vasconcelos. Tem a oposição do grupo de Afonso Costa. Nomeado chefe do governo em 15 de Maio de 1915. Sofre atentado no Entrocamento, sendo substituído por José de Castro. Retoma o lugar de ministro de Portugal em Paris em 10 de Setembro de 1915.