Castro, Joaquim Pereira Pimenta de (1846-1918)

Pimenta_de_CastroOficial do exército. Republicano de antes de 1910. Matemático. Publica em 1884 um estudo sobre leis eleitorais, editando um projecto sobre a matéria em 1890. Assume-se como simpatizante dos evolucionistas, sendo até amigo pessoal de Manuel de Arriaga.

Ministro da guerra de João Chagas, de 4 de Setembro a 8 de Outubro de 1911. É então o mais antigo general português em exercício.

Adversário frontal do grupo dos jovens turcos. Goza da simpatia de Machado Santos. Tem como chefe de gabinete o tenente-coronel Gomes Teixeira e logo se incompatibiliza com dois colegas ministros, Duarte Leite e Sidónio Pais, a quem chama duas sábias nulidades. Será substituído em 8 de Outubro, acusado de falta de zelo na defesa da República contra a incursão de Paiva Couceiro. Chagas temia, sobretudo, a intervenção espanhola.

Chefe do movimento das espadas de Janeiro de 1915. Acede então a Presidente do Ministério (de 25 de Janeiro a 14 de Maio de 1915), com o apoio do presidente Manuel de Arriaga. Era o mais antigo general do exército português. Conforme Machado Santos, repontão para cima e protetor para baixo, era especialmente idolatrado pelos sargentos.

Bibliografia

[1884]

A Mais Racional e a Mais Prática Solução do Problema Eleitoral

[1890]

Projecto de Lei Aplicável a Todas as Nações

Obra traduzida e editada em várias línguas.

[1915]

O Ditador e Afrontosa Ditadura

Weimar, Wagner Humbold, 1915.