Bruno, Sampaio

sampaioRepublicano. Frequenta a Academia Politécnica do Porto. Implicado na intentona republicana de 31 de janeiro de 1891, no Porto.

Segundo Guerra Junqueiro, ”a extrema virilidade do raciocínio atrofiou-lhe a energia da vontade. O pensamento anulou-lhe a acção” (Correspondência Literária e Política com João Chagas, I, p. 57).
Bibliotecário no Porto.

Depois de 1910, opõe-se ao modelo político e cultural de Afonso Costa.
Falece no Porto em 11 de novembro de 1915.