Brandão, Raul Germano (1867-1930)

200px-Raul_Brandao2Um dos melhores escritores de língua portuguesa do século XX. Depois de tentar a carreira militar, dedica-se ao jornalismo. Com interesse politológico, para além da impressionista visão do Portugal das invasões francesas, destacam-se as monumentais Memórias, fundamentais para a compreensão psicológica dos homens e dos acontecimentos da I República, numa espécie de reportagem íntima de um republicano não alinhado, mas bastante influenciado pelo ambiente daquela geração portuense que não foi chamada a conformar o novo regime, onde se destacam Guerra Junqueiro, Basílio Teles e Sampaio Bruno, cujas observações, nunca escritas pelos próprios, são registadas por Raúl Brandão.

Bibliografia

El-Rei Junot, Porto, 1912

Memórias, 3 vols., vol. I, Porto, Renascença Portuguesa, 1919; vol. II, Lisboa, Aillaud & Bertrand, 1925; vol. III – Vale de Josafat, Lisboa, Edições Seara Nova, 1931 [reed., Lisboa, Perspectivas & Realidades, s.d.]