Borges, Vasco (1882-1942)

Licenciado em direito. Juiz da Relação de Lisboa. Governador civil do Funchal em 1914 e na Guarda (1916-1917. Ministro da instrução pública de 8 de março a 26 de junho de 1920, no governo de António Maria Baptista/ Ramos Preto. Ministro do comércio de 5 de novembro a 16 de dezembro de 1920, no governo outubrista de Maia Pinto. Ministro do trabalho no governo de António Maria da Silva, de 7 de fevereiro a 9 de janeiro de 1923 (substituído por Rocha Saraiva). Ministro do comércio de 30 de novembro a 7 de dezembro de 1922, no governo de António Maria da Silva, mantendo a pasta do trabalho a título interino. Ministro dos negócios estrangeiros no governo de Domingos Pereira, de 1 de agosto a 17 de dezembro de 1925; idem, no governo de António Maria da Silva, entre 17 de dezembro de 1925 a 28 de maio de 1926. Apoia a Ditadura Nacional. Colabora em 1936 com o governo de Salazar. Depois de proferir uma alocução na Emissora Nacional em dezembro de 1934 a favor do Estado Novo, ficou conhecido como o vira-casacas, depois de um anúncio jocoso publicado na imprensa e que escapou às malhas da censura.