Apetite de sociedade

grocioDo lat. appetitus, aproximar-se de. Segundo Grócio (na imagem), o homem tem apetite de sociedade ou de comunidade, o que constitui a base da sociabilidade humana. É a base da natureza racional e social do homem, a fonte do direito propriamente dito, o direito natural: mãe do direito natural é a própria natureza humana, a qual, mesmo que nós não tivéssemos necessidade de nada nos levaria a desejar as relações mútuas da sociedade.