Amaral, Diogo Freitas do (n. 1941)

Diogindexo Pinto Freitas do Amaral. Professor universitário e político português. Licenciado em direito em 1963.

Doutorado em 1967. Professor associado em 1979. Agregação em 1983. Catedrático em 1984.

Fundador e presidente do CDS, chega a presidente da UEDC. Diretor da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa. Fundador do CDS em 1974, quando era membro do Conselho de Estado. Apoia governo presidido por Mário Soares no primeiro semestre de 1978.

Fundador da Aliança Democrática em 1979, ministro dos estrangeiros em 1980, no governo presidido por Sá Carneiro. Vice-primeiro ministro e ministro da defesa no III e último governo da AD (de 4 de setembro de 1981 a 19 de dezembro de 1982), influenciando a revisão constitucional e a nova lei de defesa nacional.

Demite-se da presidência do CDS em 29 de dezembro desse ano. Candidata-se a presidente da república, sendo derrotado por Mário Soares em 16 de fevereiro de 1986. Regressa à presidência do CDS em 31 de janeiro de 1988, mas perde as eleições de 1991 e volta abandonar a liderança. Com a direção de Manuel Monteiro, demite-se até de militante do partido, em novembro de 1992.

Como representante de Portugal, exerce as funções de presidente da Assembleia Geral da ONU. Depois disso, dedica-se ao lançamento da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa.

Bibliografia

Ciência Política, Apontamentos policopiados. Lisboa, Universidade Católica Portuguesa, 1983

Estado, In Polis, Enciclopédia Verbo da Sociedade e do Estado, vol. 2, pp. 1126-1177, Lisboa, Editorial Verbo, 1984

Ciência Política, 3 vols., Lisboa, , FDUL, 1990-1991 [reed. vol. I, 1994], de que se destaca: Volume II - A Idade Moderna (Renascimento, Maquiavel, Erasmo, Thomas Morus, Lutero, Jaime I, Francisco Suárez, Jean Bodin, Thomas Hobbes). O Iluminismo (Locke, Montesquieu, Voltaire, Quesnay, Rousseau). A Idade Contemporânea (Revolução Americana, Thomas Paine, John Adams, Federalistas, Revolução Francesa, Liberais e Jacobinos, Robespierre, Saint-Just, Napoleão, Constitucionalismo liberal, Benjamin Constant, Tocqueville, Liberalismo católico e primeira Democracia-Cristã, Liberalismo económico); Volume III - As ideias socialistas (o Socialismo utópico, Saint-Simon e Sismondi, Fourier e Owen, Proudhon e Bakunine, Marx e Engels, Kautsky, Guesde, Plekhanov, Bernstein, Jaurès, Sorel), a Democracia-Cristã, o Marxismo-Leninismo, o Fascismo e o Nazismo.

Uma Solução para Portugal, 1985