Agitação dos Militares Craveiristas

Com a remodelação governamental de 14 de Agosto de 1958, surge um novo ministro da Defesa, Júlio Botelho Moniz, em substituição de Santos Costa.

Em 27 de Julho, Humberto Delgado emite uma carta ao CEMGFA Botelho Moniz, ao presidente do Supremo Tribunal Militar, Lopes da Silva, ao Chefe de Estado Maior da Força Aérea, Costa Macedo, e o Chefe de Estado Maior do Exército, Beleza Ferraz, tratando-o por caros colegas, todos generais e todos participantes no 28 de Maio, propondo-lhes uma revolta. Mas Botelho Moniz, em 31 de Julho, almoçando em casa de Daniel Barbosa com Américo Tomás, o presidente eleito, apenas lhe apresenta um ultimato do Exército no sentido do afastamento de Santos Costa.

Este, por seu lado, em 4 de Agosto, numa reunião com Salazar, sugere Botelho Moniz para ministro da defesa. Botelho Moniz será ministro da defesa, Beleza Ferraz CEMGFA e Luís da Câmara Pina, CEME.