Ação Republicana, Grupo Parlamentar da (1923)

Antonio_ginestal_machadoEm 15 de dezembro de 1923, Álvaro de Castro afasta-se dos nacionalistas, durante o governo de Ginestal Machado (na imagem). Aprovada numa reunião da junta consultiva dos nacionalistas, por 57-18, uma moção repudiando ministérios de concentração e pseudo-ministérios nacionais. No dia 16, juntamente com três dezenas de deputados e senadores nacionalistas, funda o Grupo Parlamentar de Ação Republicana. No dia 14 aceitara formar governo de caráter não exclusivamente partidário, contra a opinião do seu diretório. No governo  a que vai  presidir, a partir de 17 de dezembro de 1923, mobiliza dois seareiros, António Sérgio e Azevedo Gomes, contando com os correligionários Sá Cardoso, no interior, António da Fonseca, no comércio, Ribeiro de Carvalho, na guerra. Este governo, apoiado por Afonso Costa e elogiado pelo Partido Socialista vai findar em julho de 1924. No governo seguinte, do democrático Rodrigues Gaspar, ainda participa o acionista Rodolfo Xavier da Silva, na pasta do trabalho. No de Domingues dos Santos aparece Helder Ribeiro na guerra.