1968 – 1973



1968

Dia 1 de janeiro - Nacionalização da companhia Telefones de Lisboa e do Porto.

Dia 30 de janeiro - Ofensiva do Tet no Vietname do Sul.

Dia 21 de fevereiro - Manifestação de apoiantes do regime em Lisboa, no regresso de Américo Tomás de uma visita à Guiné e a Cabo Verde.

Dia 12 de março - Abertura de propostas para a execução de Cabora Bassa.

Dia 4 de abril - Assassinato de Martin Luther King.

Dia 8 de abril - Começa a primavera de Praga.

Dia 27 de abril - Comemora-se o 40º aniversário da entrada de Salazar no governo. Inaugura-se a estátua de Nuno Álvares na Batalha e o centro de informática do ministério das finanças. À noite, no Teatro da Trindade, há uma sessão da Liga Nacional 28 maio.

Dia 28 de abril - Salazar faz 79 anos de idade.

Dia 20 de maio - António Spínola toma posse como governador da Guiné.

Junho - Assassinato de Robert Kennedy.

Em Portugal inauguravam-se fábricas de cerveja e de margarina nos arredores de Lisboa, bem como outra da Standard Eléctrica em Cascais.

Em França, os gaullistas vencem a segunda volta das legislativas francesas.

Julho - Greve da Carris termina com agradecimento formal e público dos trabalhadores a Salazar. A cerimónia é transmitida pela televisão.

Dia 12 de julho - Baltazar Rebelo de Sousa toma posse como governador de Moçambique.

Dias 22 a 24 de julho - Paulo VI em Bogotá no Congresso Eucarístico Internacional. Nesse mês edita a encíclica Humanae Vitae.

Dia 19 de agosto - Toma posse o último governo de Salazar. Gonçalves Rapazote no interior; José Hermano Saraiva, na educação; Dias Rosas, nas finanças; Bettencourt Rodrigues no exército; Pereira Crespo na marinha; Jesus dos Santos, na saúde.

Dia 23 de agosto - PCP apoia a invasão de Praga pelas tropas do Pacto de Varsóvia.

Dia 4 de setembro - Primeiros sinais de desconexão mental de Salazar. Um mês antes tinha caído de uma cadeira no Forte de Santo António da Barra no Estoril.

Dia 6 de setembro - Salazar operado de urgência  ao cérebro por Vasconcelos Marques. No dia 16 é acometido de trombose.

Dia 17 de setembro - Reunião do Conselho de Estado. Discute-se a substituição de Salazar. É consensual a opinião sobre a nomeação imediata de um novo Presidente do Conselho.

Dias 18 a 21 de setembro - Tomás inicia consultas para a nomeação de um sucessor de Salazar. A maioria dos dignitários do regime contactados apoia Marcello Caetano, embora também tenham indicado Franco Nogueira e Antunes Varela. Fala-se em Adriano Moreira e Tomás nas suas memórias diz que teria preferido Pedro Teotónio Pereira, se este não estivesse doente.

Dia 24 de setembro - Tomás recebe Caetano, enquanto Soares da Fonseca lhe pede  para o mesmo não ser nomeado.

Dia 26 de setembro - Tomás anuncia a nomeação de Marcello Caetano.

Posse de Marcello Caetano. Renovação na continuidade. Apenas entram três novos ministros: Vaz Pinto, como ministro de Estado; Sá Viana Rebelo, na defesa e Rui Sanches, nas obras públicas.

Dia 3 de outubro - Golpe militar no Peru.

Dia 10 de outubro – Já se proclama que O Estado Corporativo é um Estado Social.

Dia 15 de outubro - Reunião em Lisboa da assembleia anual da NATO.

Dia 20 de outubro - Morre em Caxias o oposicionista Daniel Teixeira.

Dias 24 a 28 de outubro - Kurt Kiesinger visita Lisboa.

Dia 5 de novembro - Nixon eleito Presidente dos USA. Abre a última sessão da IX Legislatura da Assembleia Nacional.

Dia 25 de novembro – Marcello Caetano discursa na AN.

Dia 27 de novembro – Inaugurada a Universidade Católica em Lisboa.

Dia 29 de novembro – Castro Fernandes pede exoneração de presidente da Comissão Executiva da UN.

Dia 3 de dezembro – Conselho de Ministros converte em Universidades os Estudos Gerais de Angola e Moçambique.

Dia 10 de dezembro – Afonso Marchueta toma posse como governador civil de Lisboa.

Dia 19 de dezembro – Posse da nova Comissão Executiva da União Nacional. O presidente é José Guilherme de Melo e Castro. Como vogais, Domingos Braga da Cruz, Hermes dos Santos e João Pedro Neves Clara.

Dia 20 de dezembro – O exilado Jorge Sena visita Portugal.

Dia 26 de dezembro - Nova lei eleitoral.

Dia 22 de dezembro – Lei nº 2 137.

1969

Dia 6 de janeiro - É criado um gabinete de Planeamento no Ministério das Corporações e da Previdência Social que vem a ser dirigido por Maria de Lurdes Pintasilgo. É o primeiro de uma série prevista pelo DL 49 194 de 19 de agosto de 1969, visando a interligação dos diversos departamentos governamentais com vista à preparação do Plano de Fomento de Moçambique.

Dia 15 de janeiro - Segunda remodelação governamental. Uma nova estrutura do governo, com quatro ministros coordenadores: Sá Viana Rebelo (defesa nacional e exército); Rui Sanches (obras públicas e comunicações); Baltazar Rebelo de Sousa (corporações e saúde); Dias Rosas (finanças e economia). Destes, a novidade chama-se Rebelo de Sousa, vindo de Moçambique. Noutras áreas, os novos ministros são Rui Patrício, nos negócios estrangeiros, e Veiga Simão, na educação nacional. Rebelo de Sousa  traz para a saúde e Assistência Gonçalves Ferreira que vai fazer equipa com Silva Pinto e Nogueira de Brito. Nas Comunicações e Transportes, aparece Oliveira Martins como secretário de Estado. Na juventude e desportos, Augusto de Ataíde. No comércio, Vaz Pinto. (20 de fevereiro).

Dia 27 de fevereiro - Preso Salgado Zenha quando ia realizar um colóquio sobre o problema colonial na Associação Académica da Faculdade de Direito de Lisboa.

Dia 1 de março - V Congresso da União Nacional que, depois de eleger Salazar como presidente honorário, logo se extingue e passa a Acção Nacional Popular no dia 21.

Ao aceitar a presidência da ANP, Marcello Caetano faz um discurso sobre o Estado Social. Arantes e Oliveira toma posse como Governador geral de Moçambique.

Dia 2 de março – Rodésia sai da Commonwealth e transforma se em República sob a presidência de Ian Smith.

Dia 13 de março – Lopes dos Santos toma posse como Governador de Cabo Verde.

Dia 19 de março – Criados gabinetes de planeamento nas Secretarias de Estado da Agricultura, Comércio e Indústria.

Dia 21 de março - Brandt encontra se com Stoph na RDA.

Abril – Caetano visita os Açores e Silva Cunha a Guiné.

Dia 8 de abril – É preso Jaime Gama e fixada residência a Raul Rego.

Dia 11 de abril – Conversa em família de Marcello Caetano. Declara que não há liberdade contra a lei, numa alusão à s movimentações de Mário Soares e dos seus amigos.

Dia 25 de abril – Debate sobre Portugal no Conselho da Europa.

Dia 30 de abril – O líder estudantil de Coimbra, Alberto Martins, vem a Belém pedir benevolência a Américo Tomás. Discursam o Reitor da Universidade de Coimbra Gouveia Monteiro e o Professor Teixeira Ribeiro. É formada a Convergência Monárquica, reunindo o Movimento Popular Monárquico de Gonçalo Ribeiro Teles, a Renovação Portuguesa, de Henrique Barrilaro Ruas, e a Liga Popular Monárquica, de João Vaz Serra e Moura. Nas eleições de 1969, o primeiro grupo participara nas listas da CEUD, enquanto os restantes participaram na CEM.

Dia 3 de maio - Nota da DGS informa ter sido aberto procedimento criminal contra Mário Soares.

Dias 20 a 23 de maio – Costa Gomes chega a Angola como Comandante Chefe.

Dia 24 de maio – Caetano visita Espanha.

Dia 31 de maio – Abreu Faro substitui Justino Mendes de Almeida como Secretário de Estado da Administração Escolar.

Dia 10 de junho – É nomeado bispo o negro D. Eduardo André Muaca. Fora amigo do Padre Joaquim Pinto de Andrade, entretanto preso em Caxias.

Dia 17 de junho – Os armadores e pescadores homenageiam Caetano. Morre Almada Negreiros.

Dia 20 de junho – Sindicatos nacionais e casas do povo homenageiam Caetano em S. Bento.

Dia 3 de julho – Inaugurada exposição de Vieira da Silva na Gulbenkian.

Dia 15 de julho – Paulo VI recebe Agostinho Neto, Amílcar Cabral e Eduardo Mondlane. No dia seguinte, protesto do governo português.

Dia 16 de julho – Tomás parte para visita a S. Tomé e Príncipe.

Dia 23 de julho – Salazar acometido de doença infeciosa.

Dia 25 de julho – Marcello Caetano em conversa em família critica a ala liberal.

Dia 27 de julho – Em acidente na Guiné (queda de um helicóptero) morrem vários deputados, entre os quais o chefe da ala liberal Pinto Leite.

Dia 29 de julho – Morre Oliveira Salazar.

Dia 30 de julho – Tomás regressa a Lisboa.

Dia 3 de agosto - Funerais de Salazar para o Vimieiro. Homília de Moreira das Neves e discurso de Afonso Queiró, pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

Dia 12 de agosto – Mário Soares é autorizado a vir a Lisboa para os funerais do Dr. João Soares. Vai depois instalar-se em Paris.

Dia 18 de setembro – Surge a primeira mulher num governo português: Maria Teresa Lobo como SSE da Saúde e Assistência.

Dia 1 de outubro – Fundado o MRPP.

Dia 5 de outubro – Fundada a Intersindical.

Dia 10 de outubro – Os oposicionistas Acácio Gouveia e Nuno Rodrigues dos Santos dizem-se partidários da defesa do ultramar. Em entrevista ao Diário de Lisboa, o primeiro declara expressamente o Ultramar pertence a todos nós todos temos a obrigação de defender o Ultramar.

Dia 30 de outubro – Primeira ação armada da ARA, organismo do PCP. Bomba no navio Cunene.

Dia 31 de outubro – João Salgueiro é demitido se SSE do Planeamento para poder continuar presidente da SEDES.

Novembro – Mota Campos nomeado Ministro de Estado.

Dia 9 de novembro – Em Argel a FPLN afasta o representante do PCP, Pedro Soares, e afirma-se revolucionária.

Dia 16 de novembro – Morte de De Gaulle.

Dia 20 de novembro – Conversa em família de Marcello Caetano.

Dia 25 de novembro – Desembarque em Conakri de Alpoim Galvão. Spínola e o Governo vai formalmente desmentir o facto. Em Lisboa segunda ação armada da ARA contra equipamento militar destinado ao Ultramar.

Dia 2 de dezembro – Marcello Caetano discursa sobre a revisão constitucional. Está desfeita a lua de mel com a chamada ala liberal. O Ministro dos Estrangeiros espanhol Lopez Bravo visita Lisboa.

Dia 14 de dezembro – Abre a segunda sessão legislativa da X Legislatura da Assembleia Nacional.

1970

Dia 15 de janeiro - Segunda grande remodelação governamental de Marcello Caetano, com a criação dos cargos de Ministros Coordenadores. Veiga Simão, Ministro da Educação.

Dia 17 de fevereiro - Prisão de Francisco Salgado Zenha, impedido de realizar colóquio sobre o problema colonial na Faculdade de Direito de Lisboa.

Dias 20 e 21 de fevereiro - União Nacional no seu V Congresso passa a designar-se Acção Nacional Popular; Marcello Caetano substitui a expressão Estado Novo pela de Estado Social.

Dia 1 de março - Arantes e Oliveira, governador de Moçambique.

Dia 13 de março - Criados gabinetes de planeamento nos ministérios económicos.

Dia 8 de abril - Discurso de Caetano contra as atividades de Mário Soares e dos seus amigos políticos.

Dia 11 de abril - O líder dos estudantes de Coimbra, Alberto Martins, vai pedir benevolência a Américo Tomás.

Dia 20 de abril - Debate sobre Portugal no Conselho da Europa.

Dia 25 de abril - A oposição monárquica reúne-se no movimento Convergência Monárquica.

Maio - Costa Gomes assume o comandante chefe das forças armadas de Angola.

Dias 20 a 23 de maio - Marcello Caetano visita Espanha.

Dia 31 de maio - Nomeado o bispo negro D. Eduardo Muaca.

Dia 4 de junho - Vorster visita Lisboa.

Dia 15 de junho - Morte de Almada Negreiros.

Dia 3 de julho - Paulo VI recebe Amílcar Cabral, Agostinho Neto e Marcelino dos Santos.

Dia 23 de julho - Discurso de Marcello Caetano criticando a ala liberal.

Dia 25 de julho - Em queda de helicoptero na Guiné, morrem vários deputados, entre os quais o guineense Pinto Bull e o líder da ala liberal Pinto Leite.

Dia 27 de julho - Morte de Salazar.

Dia 3 de agosto - Mário Soares autorizado a regressar a Lisboa, para participar no funeral do pai.

Dia 20 de agosto - A primeira mulher num governo português, Maria Teresa Lobo, subsecretária da saúde e assistência, toma posse.

Dia 18 de setembro - Fundado o MRPP.

Dia 1 de outubro - Formada a Intersindical.

Dia 3 de outubro - Os oposicionistas Nuno Rodrigues dos Santos e Acácio Gouveia declaram-se partidários da defesa do Ultramar.

Dia 26 de outubro - Surgem as primeiras ações armadas da ARA, ligada ao PCP.

Dia 30 de outubro - João Salgueiro, membro da SEDES, abandona o governo.

Dia 31 de outubro - Mota Campos, novo Ministro de Estado.

Dias 19 a 23 de novembro - Ataque de tropas especiais portuguesas a Conakry.

Novembro – Na Assembleia Nacional inicia-se a discussão sobre a revisão da Constituição de 1933.

1971

Dia 23 de janeiro – Sá Carneiro faz requerimento na Assembleia Nacional sobre presos políticos.

Dia 15 de fevereiro – Conversa em família de Marcello Caetano sobre as reformas que está empreender: reforma administrativa, do ensino e constitucional.

Dia 23 de fevereiro – Caetano inicia visita a Cabo Verde.

Dia 5 de março – Nota oficiosa do Ministério dos Negócios Estrangeiros sobre onze técnicos agrícolas raptados em Moçambique pela COREMO e levados para a Zâmbia.

Dia 7 de março – Bomba em Tancos.

Dia 6 de abril – Entrevista de Marcello Caetano a L’Aurore. 

Dia 16 de abril – Entrevista de Francisco Sá Carneiro a Jaime Gama, jornalista de Repúblicase amanhã me pudesse enquadrar em qualquer partido, estou convencido que dentro dos quadros da Europa Ocidental comummente aceites, iria para um partido  social-democrata. 

Dia 26 de abril – Navio Angoche encontrado à deriva em Moçambique.

Dia 13 de maio – Anunciada a nomeação de D. António Ribeiro como Cardeal de Lisboa, sucedendo a Cerejeira.

Dia 28 de maio – Jantar dos ultras no Pavilhão dos Desportos do Porto com discursos contra Marcello Caetano. Manifestação contra o Bispo do Porto. Detidos vários elementos.

Dia 30 de maio – Marcello Caetano, que depois do 28 de maio chegara a ponderar a extinção da Legião Portuguesa, decide assistir a concentração realizada em Braga, apresentando mensagem.

Dia 1 de junho – Douglas Home visita Lisboa.

Dia 3 de junho – Reunião do Conselho da Nato em Lisboa. ARA sabota o sistema de comunicações de Lisboa com o estrangeiro.

Dia 9 de junho – Conselho de Ministros anuncia a criação do Gabinete de Sines.

Dia 15 de junho – Conversa em família de Caetano sobre a comemoração do IV centenários d’ Os Lusíadas.

Dia 23 de junho – Marcello Caetano convida Américo Tomás para ser reeleito Presidente da República.

Dia 17 de julho – Explosão no paiol da Escola Prática de Cavalaria em Santarém.

Dia 23 de julho – Conversa em família de Caetano sobre os debates em curso na Assembleia Nacional quanto à revisão constitucional.

Dia 24 de julho – Morte de Augusto de Castro, diretor do Diário de Notícias.

Dia 26 de julho – Spiro Agnew, Vice Presidente norte americano, visita Lisboa.

Dia 6 de agosto – Lei nº 3/71 revê a Constituição de 1933.

Dia 9 de agosto – Início do terceiro mandato de Américo Tomás como Presidente da República.

Dia 11 de agosto – Remodelação ministerial. Cotta Dias sucede a Dias Rosas. Mendes Ferrão o novo S. E. da Agricultura.

Dia 24 de setembro – Presidente Banda do Malawi visita Moçambique.

Dia 27 de setembro – ANP homenageia Caetano, com discurso de Cotta Dias.

Dia 12 de outubro – Pimentel dos Santos nomeado Governador geral de Moçambique. Criado o Secretariado para a Juventude.

Dia 21 de outubro – Conversa em família de Caetano sobre o custo de vida.

Dia 30 de outubro – Mota Campos toma posse como Ministro de Estado.

Dia 9 de novembro – Assinado novo acordo sobre a Base das Lajes.

Dia 15 de novembro – Início da 3ª sessão da XI legislatura.

Dia 16 de novembro – Nova conversa em família de Caetano.

Dia 21 de novembro – D. António Ribeiro entra na Sé patriarcal de Lisboa.

Dias 12 a 14 de dezembro – Cimeira dos Açores entre Nixon e Pompidou.

Dia 16 de  dezembro – Conversa em família de Caetano. Aborda a questão do Acordo das Lajes.

1972

Dia 10 de abril - Tomás parte para o Brasil, levando os restos mortais de D. Pedro IV.

Dia 18 de maio - Spínola encontra-se com Senghor no Senegal. Caetano vai ordenar a não continuação das conversações em 26 de maio.

Dia 27 de maio - Lei do fomento industrial de Rogério Martins, alarga o processo de liberalização.

Dia 28 de junho - Mário Soares discursa em Viena no Congresso da Internacional Socialista. Calmann Lévy edita Le Portugal Bailloné.

Dia 10 de julho - Giscard d’Estaing, então ministro francês das finanças, visita Lisboa.

Dia 25 de julho - Colégio eleitoral reelege Tomás. Há 29 listas nulas e 616 votos a favor. Mário Soares dá conferência de imprensa na Casa dos Comuns, promovida pelos trabalhistas.

Dia 15 de setembro - Costa Gomes sucede a Venâncio Deslandes como CEMGFA.

Outubro - Amílcar Cabral propõe a Spínola encontro em território português.

Dia 12 de outubro - O estudante Ribeiro dos Santos, militante do MRPP, é morto a tiro por agentes da DGS.

Dia 21 de outubro - O Secretário de Estado da Instrução e Cultura, Costa André, faz palestra na RTP sobre a crise universitária.

Dia 14 de novembro - Marcello Caetano, numa conversa em família, nega a possibilidade de negociações com os movimentos de libertação africanos.

Dia 19 de dezembro - Veiga Simão anuncia a criação de novas universidades.

1973

Dia 6 de janeiro – Primeiro visto de Francisco Sá Carneiro no Expresso.

Dia 20 de janeiro – Assassinato de Amílcar Cabral.

Dia 26 de janeiro – Francisco Sá Carneiro pede a renúncia de deputado.

Dia 9 de março –  Três bombas em Lisboa, em instalações militares.

Dias 4 a 8 de abril – Congresso da Oposição Democrática em Aveiro (o 3º de Aveiro que deixa de ser republicano, dado que nele também participam monárquicos). Acordo prévio entre socialistas e PCP.

Dia 19 de abril – Fundado o Partido Socialista em Bad Munsterfeld, nos arredores de Bona.

Maio - Congresso da ANP em Tomar. Conclusões lidas por Silva Pinto que define o movimento como do centro.

Dia 13 de junho - I Congresso dos Combatentes do Ultramar no Porto. Telegrama de oposição vindo de oficiais da Guiné.

Dia 9 de julho - Greve dos bancários.

Dia 13 de julho - Decreto nº 353/73, o 1º decreto de Sá Viana Rebelo sobre a integração de milicianos no Quadro Permanente.

Dia 16 de julho - Caetano visita Londres. Regressa a Lisboa no dia 19.

Dia 18 de julho - II Congresso do PAIGC reúne-se em território libertado da Guiné.

Dia 25 de julho - Lei de bases da reforma do sistema educativo.

Dia 28 e 29 de julho - Encontro dos liberais - Encontro de Liberais na Sinase em Lisboa. Governador Civil de Lisboa não autoriza o Encontro dos Monárquicos, argumentando com a falta de autorização da Causa Monárquica. A Convergência Monárquica tinha criado Comissões Eleitorais Monárquicas de Intervenção Popular.

Dia 6 de agosto – Spínola regressa a Lisboa.

Dia 11 de agosto - Decreto-lei cria novas universidades.

Dia 1 de setembro - Bettencourt Rodrigues substitui Spínola.

Encontro entre delegações do PS e do PCP.

Dia 24 de setembro - PAIGC proclama a independência da Guiné Bissau em Madina de Boé.

Dia 28 de outubro – Eleição da Assembleia Nacional. Não participa a oposição. Mota Amaral e Correia da Cunha os único liberais de 1969 que se mantêm com Caetano.

Dia 7 de novembro – Remodelação ministerial. Silva Cunha, ministro da defesa; Silva Pinto, ministro das corporações; Baltazar Rebelo de Sousa, ministro do ultramar; César Moreira Baptista, ministro do interior.

Dezembro – Surge o Movimento dos Capitães. Reunião de Óbidos.