1883 – 1892




1883

Dia 30 de janeiro – José Vicente Barbosa du Bocage substitui Melo Gouveia na marinha e ultramar; será substituído por Júlio de Vilhena entre 14 de julho e 23 de agosto de 1883.

Maio

Dia 22 – As Cortes são adiadas por 13 dias até 4 de junho

Dia 31 - Hintze Ribeiro substitui António Serpa nos estrangeiros.

Junho

- Papa recusa receber em audiência D. Carlos e D. Maria Pia.

Julho

- Congresso do Partido Republicano.

Agosto

- Pronunciamento republicano em Badajós

Outubro

Dia 24 - Barjona de Freitas substitui Tomás Ribeiro no reino; Hintze Ribeiro substitui Fontes na fazenda; António Augusto de Aguiar substitui Hintze nas obras públicas; Lopo Vaz de Sampaio e Melo substitui Júlio de Vilhena na justiça; Barbosa du Bocage passa da marinha para os estrangeiros; Manuel Joaquim Pinheiro Chagas assume a pasta da marinha. A remodelação de Outubro de 1883 foi provocada pela extinção do partido constituinte, recrutando-se dois antigos membros desse grupo liderado por José Dias Ferreira: António Augusto de Aguiar e Manuel Pinheiro Chagas.

- A entrada de Lopo Vaz é de assinalar, dado que o ministro em causa vai tentar assumir o papel de uma espécie de salvador da ordem, com uma nova lei de imprensa, dita de lei das rolhas

1884

1885

Fevereiro

Dia 4 -  Saem do governo Lopo Vaz e António Augusto Aguiar; Barjona de Freitas passa a acumular a justiça, mantendo a pasta do reino; Fontes assume as obras públicas.

Dia 26 – Termina a Conferência de Berlim iniciada em 15 de novembro de 1884.

Março

- António Cândido defende Vida nova. António Cândido lança a proposta da Vida Nova, admitindo uma solução ditatorial. Logo foi secundada por Oliveira Martins. Antero acusa os regeneradores de oligarquia burocrático-financeira. António Cândido, Oliveira Martins e Carlos Lobo de Ávila aderem aos progressistas.

Dia 18 - Corrida ao Montepio Geral. Corrida em massa dos depositantes do Montepio Geral em 18 de julho de 1885.

Dia 24 - Pares electivos. Ato Adicional de 24 de julho de 1885 estabelecendo pares eletivos (50). Eleição por seis anos. Sufrágio indireto.

Dia 4 de maio – Deputado republicano Elias Garcia discursa declarando que se preza de pertencer ao partido liberal de Fernandes Tomás, Passos Manuel e Sá da Bandeira.

Setembro

Dia 7 - Republicanos promovem comício antijesuítico no Porto. Guerra Junqueiro, no ano de 1885, publica A Velhice do Padre Eterno.

Dia 16 – Morte de Anselmo Braamcamp. Em 30 de outubro de 1884 as cortes eram adiadas por 46 dias até 15 de dezembro.

Novembro

Dia 10 – José Luciano na presidência dos progressistas. Reunião magna de 500 progressistas. Sob proposta de Barros Gomes é eleito José Luciano para a chefia do partido, com o apoio de Oliveira Martins, mas com a oposição de Emídio Navarro e Mariano de Carvalho.

Dia 19 – Tomás Ribeiro no MOPCI. Tomás Ribeiro substitui Fontes nas obras públicas. Manuel da Assunção substitui Barjona de Freitas na justiça.

Dezembro

Dia 3 – Eleição dos pares, com abstenção dos progressistas.

Dia 15 – Morte de D. Fernando.

Ainda em 1885…

- Morte de Anselmo Braamcamp, com José Luciano a substitui-lo na liderança dos progressistas que se reforçam com as adesões de António Cândido, Oliveira Martins e Carlos Lobo de Ávila.  No fim do ano, Fontes pede a demissão. Antero de Quental fala na existência de uma oligarquia burocrático-financeira.

1886

Fevereiro

Dia 20 - Governo de José Luciano. O próprio Fontes indicou José Luciano a D. Luís. Havia uma maioria regeneradora nas Côrtes.

- Chegou a ser aventada a hipótese da criação de um ministério da agricultura, para cuja titularidade seria chamado Oliveira Martins. Gorada a hipótese, face à recusa de Emídio Navarro, ministro das obras públicas, de cujos serviços sairia o novo ministério. Martins passa a opor-se a Navarro e Mariano, a partir do jornal A Província. Em 1877 era eleito deputado progressista. O ministro mais próximo de D. Luís era Barros Gomes, de quem o rei dizia, o meu dilecto ministro dos estrangeiros. Mariano e Emídio tinham sido violentos críticos do monarca que, no entanto, não pôs obstáculo à respectiva nomeação, ao contrário do que fizera em 1879, relativamente a Mariano.

Dia 22 - Apresentação parlamentar do novo governo em 22 de fevereiro. Oposição regeneradora, apesar de frontal, não apresenta nenhuma moção de desconfiança. O governo rejeita governar com o orçamento anterior. Latino Coelho, na Câmara dos pares assume-se como republicano.

Dia 1 de maio - Ano da greve de Chicago pelo horário das 8 horas

Dia 28 de julho - Criação de uma Direcção-geral de Agricultura e de agrónomos distritiais

Dia 5 de agosto - Barros Gomes assume interinamente a pasta da marinha e do ultramar de 5 de agosto a 27 de setembro.

Dia 6 de outubro - De 6 a 19 de outubro, José Luciano assume interinamente a pasta da justiça, substituindo Veiga Beirão

Dezembro

Dia 9 - Instituição das circunscrições regionais agrícolas e do Conselho Superior de Agricultura

Dia 30 – Reforma dos institutos industriais e comerciais de Lisboa e do Porto.

1887

Janeiro

Dia 5 – Dissolução da Câmara dos Deputados.

Dia 22 – Morre Fontes Pereira de Melo, sucedendo-lhe António Serpa na chefia dos regeneradores (a eleição foi anunciada em 1 de agosto). Morreu também António Augusto de Aguiar em 4 de setembro.

Março

Dia 6 - Eleições. Progressistas elegem 107 deputados. Oposição regeneradora elege 36 deputados. Republicanos mantêm dois deputados por Lisboa (Elias Garcia e Zófimo Consiglieri Pedroso). 8 deputados da esquerda dinástica de Barjona de Freitas.

Dia 21 - Nasce D. Luís Filipe

Dia 28 - Dois meetings republicanos

Dia 30 - Eleição dos pares, com vitória progressista, à excepção de Faro e Castelo Branco.

Abril

Dia 2 - Abrem as Cortes

Dia 18 - António Arroio chama a José Luciano presidente carnavalesco

Dia 27 - Surge o projecto de lei de fomento rural de Oliveira Martins

Maio

Dia 7

- Ferreira de Almeida esbofeteia em plena Câmara dos Deputados o ministro da marinha e ultramar Henrique Macedo que responde a murro. Ministro é demitido. Deputado condenado a 4 meses de prisão. Deputado era tenente da armada.

- Nova cena de pugilato no parlamento entre José de Azevedo Castelo Branco e Bivar de Sousa.

Dia 9 - Barros Gomes substitui Henrique Macedo na pasta da marinha até 15 de setembro.

Dia 21 - Editado em volume o Projecto de Lei de Fomento Rural de Oliveira Martins

Junho

Dia 11 - D. Carlos parte para Inglaterra

Dia 20 – Numa reunião de regeneradores, em casa de Barbosa du Bocage eleito António Serpa para suceder a Fontes pereira de Melo. Os antigos constituintes e importantes marechais do partido não o apoiam. Já a velha jovem guarda o apoia, dado preferir uma liderança fraca, dita intelectual, vista como mera solução de transição. Oposição de Barjona de Freitas. António Augusto de Aguiar não votou. Jaime Moniz propôs o adiamento. Tomás Ribeiro, Andrade Corvo, Barros e Sá e Melo Gouveia não compareceram à reunião.

Dia 31 de julho - Barjona de Freitas anuncia a criação de um novo partido, a Esquerda Dinástica. No dia 1 de agosto discursa na Câmara dos Deputados sobre a matéria. António Serpa é apoiado na Câmara dos Deputados por Lopo Vaz e na Câmara dos pares por Hintze Ribeiro.

Dia 1 de agosto - Imprensa anuncia a eleição de António Serpa para a chefia dos regeneradores

Setembro

Dia 4 - Morte de António Augusto de Aguiar.

Dia 16

- Eleições municipais em Lisboa, com vitória da lista monárquica de Fernando Palha e Rosa Araújo

- Rei visita o Norte do país

Novembro

- Surge no Porto A Revolução Social

Dia 18 de dezembro - Congresso do partido republicano no Porto, de 18 a 22 de dezembro.

1888

Dia 1 de janeiro - Reabertura do parlamento

Fevereiro

Dia 8 - Deputado Augusto Ribeiro apresenta projecto considerando de interesse nacional a cartilha maternal de João de Deus

Dia 25 - Em eleição suplementar é eleito um terceiro deputado republicano, Teófilo Braga, eleito para vaga em Lisboa.

Maio

Dia 13 - Rei Óscar da Suécia visita Lisboa

Dia 15 - Aprovada a extinção da escravatura no Brasil

Junho

Dia 7 - Começa a Exposição Industrial de Lisboa

Dia 22 - Corpo de Alexandre Herculano é transferido para os Jerónimos

Dia 29 - Criado imposto sobre a produção e consumo do açúcar

Julho

Dia 13 - Barros Gomes na marinha

Dia 30 - D. Carlos assume a regência pela terceira vez em 30 de julho. D. Luís vai para termas francesas e só regressa em 15 de outubro.

Outubro

- Primeira exibição pública do football em Cascais

Dia 15 - D. Luís regressa de França.

Dia 15 de novembro - José Joaquim Gomes de Castro na guerra em lugar do visconde de S. Januário

1889

Dia 2 de janeiro - Discurso da Coroa. Abordada a questão da salamancada

Fevereiro

Dia 4 - Adiados os trabalhos parlamentares até 5 de abril

Dia 23 - Remodelação governamental

Dia 4 de abril - Reabertura da Câmara dos Deputados

Outubro

Dia 19 - Morte de D. Luís

Dia 20 - Eleições. 104 deputados progressistas, 38 regeneradores, 2 republicanos, 8 da Esquerda Dinástica

Novembro

Dia 3 - Eleições municipais

Dia 9 - Remodelação governamental

Dia 14 - Nasce D. Manuel

Dia 15 - República no Brasil

Dezembro

Dia 6 - Morte de António Cardoso Avelino

Dia 7 – Chega a Lisboa, refugiado, o destituído Imperador do Brasil

Dia 28 - Juramento de D. Carlos I

1890
Something
Hadfsfdfdsfdsfdsfsd

1891

Janeiro
Dia 4 - Congresso do PRP de 4 a 7 de janeiro

Dia 10 - João de Azevedo Coutinho regressa de África, sendo votoriado

Dia 31 - Revolta republicana do 31 de Janeiro de 1891. Conforme salienta Lopes d’Oliveira, desde o 31 de janeiro todo o programa republicano é Revolução (Idem, p. 93.)

Dia 5 de março - Cortes reabrem para votarem as bases do monopólio do tabaco e um grande empréstimo de 10 milhões de libras. Conde de Burnay emprestara 3 milhões de libras, com a condição de lhe ser concedido o monopólio do tabaco.

Abril
Dia 1 - Adiado o parlamento no dia 1 de abril. Governo anuncia que vai governar em ditadura.

Dia 3 – Sentenças contra os implicados no 31 de janeiro. Dividem-se os monárquicos. Lopo Vaz, no Diário Ilustrado fala num erro judiciário. Contra ele, assumem-se Emídio Navarro no Novidades (já pedira o restabelecimento da pena de morte); Carlos Lobo d’Ávila no Tempo; Pinheiro Chagas no Correio da Manhã e Hintze Ribeiro n’O Português.

Dia 21 - Morte de Elias Garcia

Maio
Dia 7

- Suspensa por 90 dias a convertibilidade das notas de banco. Depois de uma corrida à conversão das notas, uma corrida ao levantamento dos depósito. O papel-moeda fica desvalorizado em cerca de 10%

- Sucessivas prevenções militares

Dia 25 - Lopo Vaz de Sampaio e Melo substitui António Cândido no reino e passa a exercer a pasta de ministro da instrução pública, então restaurada; Alberto António de Morais de Carvalho substitui António Emílio Correia de Sá Brandão na justiça; Mariano de Carvalho substitui Augusto José da Cunha na fazenda; Júlio de Vilhena substitui António Enes na marinha e ultramar; Conde de Valbom substitui José Vicente Barbosa do Bocage nos estrangeiros; João Franco substitui Tomás Ribeiro nas obras públicas;

·Perante a crise, o rei consulta por escrito José Luciano e António Serpa. Estes preferem a continuidade de Crisóstomo à chamada de Dias Ferreira. São Januário ainda foi encarregado de formar novo governo, mas não consegue mobilizar Mariano de Carvalho. Este jornalista, ligado à ala radical dos progressistas e grande amigo do prior da Lapa, havia regressado de Moçambique em 1890 e dizia ter planos financeiros para salvar o Estado. A recomposição levada a cabo por Crisóstomo assentava numa efectiva aliança de Lopo Vaz e Mariano de Carvalho e o governo deixa de ser extrapartidário.

·No tocante à frente britânica, Valbom vai conseguir ajustar as bases do tratado de Londres em 28 de maio e apresentá-las na Câmar dos Deputados em 2 de junho. Apesar de tudo, José Falcão ainda proclama: eu supunha que havia coisas que não se podiam vender…Mas, depois da questão inglesa, ia desabar a questão financeira que se jogava entre banqueiros de Paris.

·Mariano parte imediatamente para o estrangeiro. Acredita que a situação é um poço sem fundo, para onde me lanço de olhos abertos. Faz uma sucessão de adiantamentos, sem conhecimento dos seus colegas de governo, à Companhia Real, ao Banco Lusitano e ao Banco do Povo. A quebra da bolsa de Paris no Outono impede que se concretize uma operação de grande empréstimo a Portugal.

Dia 23 de junho - Aires de Gouveia na Câmara dos Pares critica a perseguição aos republicanos, considerando-os como pequena minoria (23 e 25 de junho)

Julho

Dia 9 – Decretado o curso forçado das notas de banco

- Conflitos entre os ministros Lopo Vaz e Mariano.

1892
S

Janeiro

Dia 15 – João Crisóstomo confirma que Mariano fez adiantamentos à Companhia Real dos Caminhos de Ferro sem conhecimento do restante governo. Trata-se de um golpe de Lopo Vaz que terá dito: foi o Zé Luciano e o Serpa. Mariano apresenta a demissão, proclamando: suponho que a minha carreira política está finda; esteja ou não esteja, há uma coisa para que fico vivo.Começa a falar-se num governo de Lopo Vaz, mas este adoece e acaba por morrer em 1892. Chega a ser sondado o conde de Valbom, mas acaba por ser chamdo José Dias Ferreira, tendo na fazenda Oliveira Martins, um dos grandes inimigos de Mariano.

Dia 17 - Governo de Dias Ferreira. De 17 de Janeiro de 1892 a 23 de fevereiro de 1893. O governo, considerado de acalmação partidária, foi marcado pela participação de Oliveira Martins.

Dia 20 - Discurso de Oliveira Martins na Câmara dos Deputados

Dia 21 - Deputado Ferreira de Almeida renova a proposta de venda das colónias para se fazer face ao défice orçamental de 10 000 contos. Exclui apenas Angola e a Índia.

Dia 29 - D. Carlos cede 20% da respectiva dotação. O republicano Alves da Veiga, em carta dirigida a João Chagas, em janeiro de 1893, dizia então que no campo monárquico, a situação é sempre a mesma. Não melhora, nem piora, porque também não pode piorar. O Dias Ferreira saiu-me um charlatão ignóbil… a monarquia está liquidada (Correspondência Literária e Política  com João Chagas, I, p. 55.)

Fevereiro
Dia 5 - Manuel de Arriaga propõe um inquérito ao ex-ministro da fazenda Mariano de Carvalho

Dia 26 - Naufrágio na Póvoa do varzim. Morrem cerca de cem pessoas. De 62 barcos, só 9 conseguem acolher-se em Leixões.

Dia 26 - Lei de salvação pública proposta por Oliveira Martins.

Março
Dia 3 – Volta a ser extinto o ministério da instrução pública, pasta acumulada pelo presidente os assuntos da mesma voltam ao ministério do reino.

Dia 20 - Morte de Lopo Vaz.

Dia 22 - Termina o jornal Revolução de Setembro, ao fim de 51 anos de publicação.

Dia 13 de abril - Dias Ferreira nomeia António Serpa para tratar de um acordo com os credores externos.

Maio
Dia 10 - Nova pauta aduaneira. Termina o livre-cambismo.

Dia 27 - O presidente passa a acumular a fazenda, onde substitui Oliveira Martins. Este proclama: emergi da cloaca ministerial… Dias Ferreira em Março havia recusado a demissão de Pereira Carrilho, director-geral da contabilidade pública, proposta por Oliveira Martins. António Teles Pereira de Vasconcelos substitui D. António Aires Gouveia, bispo de Betsaida, na justiça; Aires Gouveia passa para os estrangeiros, sucedendo a António de Sousa Silva Costa Lobo; Pedro Vítor da Costa Sequeira substitui o visconde de Chanceleiros, Sebastião José de Carvalho nas obras públicas.

Junho
Dia 11 - Assinado contrato para o cabo submarino entre o continente e os Açores

Dia 15 - Regularizado o processo de pagamento aos nossos credores externos

Dia 27 - Assinado contrato definitivo com a Companhia de Carris de Ferro de Lisboa

Julho
Dia 11

- Novo contrato entre o Estado e o Banco de Portugal. Contestação da Associação Comercial de Lisboa

- Questão das obras do Porto de Lisboa com empréstimo francês.

Dia 22 - D. Carlos visita Coimbra oficialmente.

Dia 18 de agosto - Inaugurada a praça de touros do Campo Pequeno.

Setembro
Dia 13 - Prisão de João Chagas

Dia 18 - Surge em Lisboa o órgão anarquista A Revolta

Dia 23 de outubro

- Eleições. Dias Ferreira perde em Aveiro e é eleito por Penacova à última hora

- D. Carlos visita Espanha

Dezembro
Dia 19 - Rebenta bomba anarquista em Lisboa.

Dia 23 - Francisco Joaquim Ferreira do Amaral passa a acumular a marinha e os estrangeiros, substituindo aqui D. António Aires Gouveia.